Ciência dos Materiais (DISCIPLINA UNINASSAU)
( 29 inscritos)
R$569,90 à vista
ou 10x R$ 56,99 no cartão
Compartlhe este curso:

Sobre o Curso de Ciência dos Materiais (DISCIPLINA UNINASSAU):

CONTEÚDO

Neste curso você vai aprender as diferentes formas de arranjos atômicos para a formação de uma rede cristalina. Estudaremos os materiais monocristalinos e policristalinos, suas posições, direções e planos atômicos no interior de uma célula unitária. E não iremos parar por aqui, ainda veremos outros assuntos que estarão listados na ementa.

 

DURAÇÃO

60 horas

 

PROFESSOR(A) EXECUTOR(A)

- A disciplina de Ciência dos Materiais é conduzida pela professora Gabriella Amorim Muniz.

 

AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina seguirá o previsto no Regimento da UNINASSAU e MIDDI, sendo necessário para aprovação a obtenção de conceito maior ou igual a 7,0, obtido através da média da AV1 (atividades online com peso de 20%) e AV2 (prova presencial - ou remota, conforme autorização especial durante o período de pandemia - com peso de 80%). Caso não atinja o conceito necessário, o aluno terá direito a realização de Avaliação Final. As avaliações ocorrerão conforme cronograma específico da disciplina.

A frequência será controlada com base no acesso ao sistema e participação no cronograma proposto para a disciplina.

Fará jus a certificação de aproveitamento na DCE o aluno que atender aos requisitos de aprovação nas avaliações e participar no mínimo de 75% das atividades previstas conforme o cronograma.

 

CERTIFICAÇÃO

A oferta deste curso/disciplina é feita pelo curso de Engenharia Mecânica (portaria MEC nº 02231115-2, de 04/07/2016) da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau (portaria de credenciamento nº 701, de 28/05/2012), em consonância ao previsto no Regimento Geral da UNINASSAU e na Legislação vigente. A oferta é na qualidade de disciplina em caráter especial (DCE).

A certificação ofertada após a conclusão da caga-horária e da realização das provas com obtenção de nota média igual ou superior a sete também será feita pelo curso de Engenharia Mecânica da UNINASSAU. Para alunos da UNINASSAU, ou outras instituições do Grupo Ser Educacional, ficam mantidas as regras regimentais quanto ao aproveitamento de DCE, não podendo ser cursada para adiantar disciplinas futuras.

A UNINASSAU é uma instituição reconhecida pelo MEC e com autorização para oferta de educação a distância nas modalidades de graduação e pós-graduação.

Acesso ao curso disponível por 30 dias a partir do primeiro acesso.
  • Materiais de engenharia
  • Estrutura dos materiais
  • Pontos, direções e planos em um cristal
  • Defeitos pontuais
  • Defeitos lineares
  • Defeitos interfaciais
  • Diagramas de fases
  • Ensaio de tração em metais
  • Tensão-deformação em cerâmicos
  • Propriedades, aplicações e processamento de polímeros
  • Comportamentos mecânicos dos diferentes tipos de materiais compósitos
  • Questões econômicas, ambientais e sociais na engenharia envolvendo materiais
  • Diferentes formas de arranjos atômicos para a formação de uma rede cristalina. Cada arranjo confere uma propriedade diferente ao material;
  • Materiais monocristalinos, que são vistos como estruturas cristalinas perfeitas;
  • Materiais policristalinos, que são a grande maioria. Eles contêm direções cristalográficas distintas e/ou arranjos atômicos distintos;
  • Que cada direção cristalográfica e/ou cada arranjo atômico presente na rede do material é denominado grão;
  • Posições, direções e planos atômicos no interior de uma célula unitária. Estes conceitos são muito importantes para compreender sistemas de endurecimento do material e, também, de análise cristalográfica (difração de raios X), pois os planos cristalográficos funcionam como uma impressão digital para cada material;
  • Que cada material tem sua própria combinação de planos cristalográficos relevantes que o identifica;
  • O conceito de imperfeições em redes cristalinas e como elas ocorrem;
  • O conceito da imperfeição linear, ou defeito linear, conhecido como discordância, e a sua necessidade de existência, principalmente em metais, para que haja a deformação plástica (deformação permanente) destes;
  • Os conceitos de contornos de grão e sua afinidade por “capturar” átomos de impurezas adicionados ao material com o intuito de alterar suas características físicas;
  • Que inserir impurezas numa determinada rede cristalina pode alterar as características físicas do material, por exemplo, aumentar sua resistência mecânica, como no caso da produção do aço, que nada mais é do que uma rede cristalina de ferro na qual são inseridas impurezas de carbono;
  • Que as impurezas causam distorções na rede cristalina do ferro de maneira a limitar o movimento de discordâncias, aumentando, assim, a resistência mecânica do material;
  • Os conceitos de diagramas de fases unários e binários, aprendendo que os diagramas unários existem para materiais puros, como a água, e os binários, para materiais engenheirados que dependem de dois compostos, como as ligas metálicas binárias;
  • Como identificar as composições das fases presentes e como calcular cada quantidade de fase por meio da regra da alavanca;
  • O diagrama de fases eutético, que mostra que, para certas ligas metálicas, existe uma composição na qual a liga metálica em estado líquido passa para o estado sólido de forma lamelar;
  • Observamos e aprendemos os métodos de verificação das propriedades mecânicas das classes de materiais metálicos e cerâmicos;
  • Aprendemos que, com um teste de tração, levantando uma curva tensão-deformação, podemos identificar as propriedades mecânicas importantes dos metais;
  • Aprendemos, também, que, por causa da fragilidade do material cerâmico (alta resiliência), não é possível realizar o teste de tração, pois o corpo de prova se fratura durante o posicionamento nas garras que o prendem à máquina. Por essa razão, usa-se o teste de flexão, que pode ser feito em três ou em quatro pontos, enfatizando o primeiro;
  • Com o teste de flexão de três pontos, conseguimos determinar a curva tensão-deformação do cerâmico e, então, levantar seu módulo de elasticidade;
  • Verificamos que o número de poros presentes no material é um fator decisivo para determinar o módulo de elasticidade e o limite de resistência à flexão do material, concluindo que, quanto maior o número de poros no material, menor serão essas propriedades;
  • Por último, verificamos que um cerâmico cristalino é normalmente frágil à temperatura ambiente, porém, ao ser aquecido, torna-se maleável. Essa maleabilidade é obtida de forma semelhante à maleabilidade dos metais: por meio do movimento de discordâncias. Já um cerâmico não cristalino tem a sua deformação dada mediante escoamento viscoso, assim como nos líquidos, em que há sucessivas quebras e reconstruções de ligações atômicas e/ou iônicas;
  • A importância da análise das características e propriedades dos materiais;
  • Suas propriedades mecânicas, que são de essencial consideração para formulação de um projeto;
  • A presença, no dia a dia social, de todas as classes de materiais, inclusive os materiais avançados, e a escolha correta de materiais a serem empregados para baratear o custo de um projeto, assim como aperfeiçoar as propriedades físicas exigidas pelo projeto;
  • As diferentes condições das quais depende a escolha do material adequado, destacando as ambientais e atmosféricas;
  • Equações matemáticas, obtidas de forma experimental, que estimam as propriedades mecânicas das classes de materiais;
  • A aplicação específica de cada tipo de material;
  • A importância do impacto sócio-econômico-ambiental da engenharia, e que um engenheiro deve levar em conta o custo de sua produção. Para isto, a escolha de materiais é de suma importância, a fim de criar um material que atenda à demanda social e, portanto, atinja aos objetivos econômicos, gerando lucro à empresa que o produz;
  • A importância, para o engenheiro, de criar um material competitivo no mercado tanto devido à sua qualidade quanto economicamente, para que atraia consumidores e também gere lucro.
  • A responsabilidade do engenheiro de fazer com que a tecnologia trabalhe em função da melhoria de vida humana;

AVALIAÇÃO

A avaliação da disciplina seguirá o previsto no Regimento da UNINASSAU e MIDDI, sendo necessário para aprovação a obtenção de conceito maior ou igual a 7,0, obtido através da média da AV1 (atividades online com peso de 20%) e AV2 (prova presencial - ou remota, conforme autorização especial durante o período de pandemia - com peso de 80%). Caso não atinja o conceito necessário, o aluno terá direito a realização de Avaliação Final. As avaliações ocorrerão conforme cronograma específico da disciplina.

A frequência será controlada com base no acesso ao sistema e participação no cronograma proposto para a disciplina.

Fará jus a certificação de aproveitamento na DCE o aluno que atender aos requisitos de aprovação nas avaliações e participar no mínimo de 75% das atividades previstas conforme o cronograma. 

 

CERTIFICAÇÃO

A oferta deste curso/disciplina é feita pelo curso de Engenharia Mecânica (portaria MEC nº 02231115-2, de 04/07/2016) da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau (portaria de credenciamento nº 701, de 28/05/2012), em consonância ao previsto no Regimento Geral da UNINASSAU e na Legislação vigente. A oferta é na qualidade de disciplina em caráter especial (DCE).

A certificação ofertada após a conclusão da caga-horária e da realização das provas com obtenção de nota média igual ou superior a sete também será feita pelo curso de Engenharia Mecânica da UNINASSAU. Para alunos da UNINASSAU, ou outras instituições do Grupo Ser Educacional, ficam mantidas as regras regimentais quanto ao aproveitamento de DCE, não podendo ser cursada para adiantar disciplinas futuras.

A UNINASSAU é uma instituição reconhecida pelo MEC e com autorização para oferta de educação a distância nas modalidades de graduação e pós-graduação. 

Cursos relacionados
Análise Estatística de Dados
Carga horária: 40 hora(s)
Cálculo Integral
Carga horária: 60 hora(s)
Contabilidade Aplicada
Carga horária: 60 hora(s)